Cães-Guia

A ROYAL CARIBBEAN INTERNACIONAL ACEITA CÃES-GUIA EM TODOS OS NAVIOS

* Observe que não aceitamos animais domésticos.

Os cães-guia são definidos como “cães treinados individualmente para trabalhar ou realizar tarefas em benefício de uma pessoa com deficiência”. Os cães-guia não são considerados animais domésticos.

A comprovação de que o animal é um cão-guia é útil, mas não obrigatória (como cartões de identificação, outros documentos por escrito, a presença de coleiras e/ou fivelas ou a confirmação verbal idônea da pessoa com deficiência usando o cão).

Fornecemos áreas de descanso com aproximadamente 1 por 1 metro com maravalha para acomodar cães-guia. Nos cruzeiros dos EUA, é possível fornecer gramado caso seja solicitado com antecedência e se estiver disponível. As áreas de descanso são compartilhadas com outros cães-guia a bordo. Observe que o Central Park nos navios da classe OasisSM não é designado como uma área de descanso.

Avise à Central de Atendimento no momento da reserva e até 30 dias antes do embarque caso seja necessária uma área de descanso para cão-guia.

Os cães-guia podem acompanhar o portador de deficiência em todas as áreas públicas, incluindo restaurantes. Enquanto estiverem nas áreas públicas, os cães-guia deverão usar coleira ou outro dispositivo de controle. Devido às normas de saúde, os cães-guia não são permitidos nas piscinas, hidromassagens ou spas.

Os cuidados e a supervisão do cão-guia são de inteira responsabilidade do dono. Os navios não são obrigados a fornecer alimento ou cuidados aos cães-guia.

Os hóspedes podem levar a quantidade cabível de alimentos e vasilhas para o cão a bordo do navio sem custos adicionais. Se for necessário um espaço refrigerado, avise à Central de Atendimento no momento da reserva, até 30 dias antes do embarque.

Se o hóspede optar por desembarcar do navio em um porto onde o cão-guia é obrigado a permanecer a bordo, o hóspede deverá providenciar para que o animal seja cuidado. Observe que a equipe do navio não é obrigada a cuidar de cães-guia nem o animal pode ser deixado sozinho nas cabines desacompanhado.

Os hóspedes são responsáveis pela obtenção de todos os documentos exigidos para que os animais desembarquem do navio em portos de escala e no destino final. Para obter os requisitos de documentos, acesse:

Uma cópia dessas permissões deverá ser levada a bordo e outra cópia deverá ser entregue na Recepção após o embarque.
Observe que toda a documentação e requisitos de vacinação são estabelecidos pelas autoridades governamentais e não pela Royal Caribbean International. Observe que os requisitos estão sujeitos à alteração sem aviso prévio.

Os hóspedes são responsáveis pelo comportamento ou danos causados pelo cão-guia. Uma taxa de limpeza poderá ser cobrada na conta do hóspede a bordo do navio.

Se o comportamento do cão-guia apresentar alguma alteração ou representar uma ameaça direta à segurança, o animal poderá ser impedido de embarcar ou removido do navio juntamente com o dono às custas do hóspede. Os exemplos incluem: rosnar, latir excessivamente, iniciar contato não solicitado, morder outros hóspedes e/ou membros da tripulação, não usar as áreas de descanso designadas, subir nos móveis, comer na mesa, etc.

Se você tiver um animal que não se enquadra na definição de cão-guia (ou seja, um cão treinado para realizar uma tarefa) mas que deve acompanhá-lo em auxílio à sua necessidade especial, entre em contato com a Central de Atendimento pelo menos 60 dias antes da data do cruzeiro.

Cães-guia no Reino Unido (UK)

A entrada de cães-guia no Reino Unido deverá atender às regras do Pet Travel Scheme.
Você é inteiramente responsável por assegurar que o seu cão-guia obedeça essas regras. Assegure-se de ter iniciado os procedimentos na ordem correta e que a documentação do seu cão esteja preenchida corretamente.
Faremos o nosso melhor para ajudá-lo a garantir que o seu cão-guia esteja de acordo com o Pet Travel Scheme no momento do embarque. Observe que os cães que não passarem nas verificações não poderão embarcar.
Se você tiver algum problema com a sua documentação após a entrada no Reino Unido, você deverá arcar com quaisquer custos relacionados a quarentena ou ao retorno do seu animal.
Normalmente, você precisará do passaporte do animal (para hóspedes da União Europeia e Reino Unido) ou um certificado veterinário oficial do seu país (para hóspedes dos EUA e outros países do Reino Unido e União Europeia) mostrando que o cão possui microchip e que foi vacinado contra raiva e recebeu tratamento contra cisticercose não menos de 24 horas e não mais de 120 horas antes do embarque no Reino Unido (não é necessário para viagens partindo da Irlanda, Finlândia, Malta ou Noruega).
O passaporte do animal e os certificados nacionais oficiais devem estar assinados, datados e carimbados por um veterinário oficial, que talvez não possa ser o seu veterinário de confiança. Normalmente, isso leva algum tempo.
O tratamento contra cisticercose deve ser programado para um dos portos de escala antes da entrada no Reino Unido, de modo que, caso o tratamento não possa ser feito por alguma razão, haja outras oportunidades nos próximos portos de escala.